domingo, 04 30th

Last updateQua., 26 Abr. 2017 11am

  • Criar Conta
    *
    *
    *
    *
    *
    *

    * Campo Obrigatório.

Unidades de Saúde

O quadro sanitário do município não sendo o desejável é aceitável, tendo em conta que, segundo QUIBB–CV, a necessidade dos serviços de saúde se situa nos 28,9%, enquanto a utilização fica pelos 12,3%. 

A insatisfação em relação aos serviços de saúde sempre citando QUIBB – CV, se prende com o tempo de espera para atendimento, custos demasiado alto e falta de medicamentos. Entretanto, a cobertura vacinal, a assistência às mulheres durante a gravidez e no parto é considerado muito satisfatório.

De acordo com QUIBB, 77,8 % das famílias estão satisfeitas com a qualidade dos serviços de saúde.

Dos insatisfeitos, 59,5% dizem que o serviço é muito caro, 37,8% dizem que há falta de medicamentos e 34,7% referenciaram o elevado tempo de espera.

94,6% das mulheres fizeram preparação pré-natal, 55% fizeram o parto no hospital ou no centro de saúde e 45% fizeram o parto em casa. 54,3% tiveram como assistentes no parto um médico ou enfermeiro, 33,5% recorreram à parteira tradicional e 10,4% recorreram a parentes e amigos. Podemos considerar que estes últimos números são perigosamente altos.

80,7 % das famílias tem acesso ao Centro de Saúde em menos de 15 minutos (número muito bom), 10,1 % entre 15 e 30 minutos e 9,1 % reside a mais de 30 mn do serviço de saúde.

O fenómeno da toxicodependência não é desconhecido no Tarrafal. No entanto, não existe a percepção de números e/ou taxas.

As principais causas de deficiência são os AVCs, as amputações originadas pelas diabetes, a paralisia cerebral e os acidentes rodoviários.

Um novo dado tem aparecido nas estatísticas: o alcoolismo também começou a tocar o sexo feminino. Segundo dados do Centro de Saúde, em cada 100 alcoólicos 40 são mulheres. O número de caso de tuberculose tem vindo a diminuir.

Actualmente, podemos afirmar que o principal problema de saúde pública é o alcoolismo, seguido da hipertensão, infecções respiratórias e doenças de pele.

A ONG “VerdeFam”, Associação Cabo-verdiana para a Protecção das Famílias, trabalha com o saúde sexual e reprodutiva, tendo como público-alvo os jovens.

 

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS